Qual a diferença entre atividades DIVERSIFICADAS de atividades DIFERENCIADAS?

qual a diferença entre atividade diversificada e diferenciada

Vamos ENSINAR DIFERENTE?

Após fazer uma avaliação diagnóstica em sua turma, o professor reconhece as necessidades e as potencialidades de cada um. Cada pessoa tem uma história, formada por sua estrutura biológica, psicológica, social e cultural.  Quando o professor estiver fazendo seu plano de aula ele deve elaborar atividades diferenciadas e diversificadas sobre o mesmo conteúdo, atendendo os diferentes níveis de aprendizagem e as necessidades especiais (do mais introvertido ao mais elétrico, do mais lento ao mais rápido, do visual ao sinestésico, do mais competitivo ao mais colaborativo).

EXEMPLO DE ATIVIDADE DIVERSIFICADA E DIFERENCIADA:

Queremos ensinar operações matemáticas para os alunos de uma turma. Primeiro é necessário aplicar uma avaliação que contenham problemas matemáticos que exijam as quatros operações (um ou mais de cada). Caso seja uma avaliação “formal” deve disponibilizar materiais concretos para utilizar na interpretação da ideia. Você também pode fazer a avaliação com materiais concretos simulando a situação em sala de aula, afinal, seu objetivo é ensinar as operações matemáticas e não saber se ele sabe ler. Após descobrir o nível de aprendizagem da turma e de cada indivíduo (suas peculiaridades), você irá planejar atividades diversificadas e diferenciadas para ensinar este conteúdo.

ATIVIDADES DIVERSIFICADAS: São atividades, materiais e estratégias diferentes que ensinam o mesmo conteúdo. Para este conteúdo do exemplo, podemos levar jogos de percurso, tabuleiros, brincadeiras com as mãos, boliche, teatro, alimentos (balas, frutas e etc), entre inúmeras possibilidades que sua criatividades lhe permitir.

ATIVIDADES DIFERENCIADAS: Devemos adaptar o conteúdo, atividades e avaliações de acordo com as necessidades de cada um, elas podem ser individuais ou em grupos. No exemplo acima, você iria adaptar as quantidades para o nível de aprendizagem do estudante, o colocaria ao lado de um colega que o ajudaria a refletir as situações, em um grupo onde ele pode simular os desafios matemáticos, explicaria individualmente mais vezes do que os demais. Solicitaria ao professor de apoio da sua sala de aula para o acompanhar e auxiliar o seu raciocínio. O professor deve avaliar estes alunos mais vezes e de diferentes formas para descobrir se ele está compreendendo o conteúdo, assim como exigir progressivamente (no tempo individual) a assertividade.

O ensino deve deixar de querer igualar. Não nascemos iguais e não nos tornamos iguais. É dever do professor ser diferente para atender as diferenças.

Ficou alguma dúvida? Ou precisa de formas diferentes de explicação (fotografia, vídeo e imagens). Solicite nos comentários ou me envie um e-mail. Estou a disposição.

 

Facebook Comments
fevereiro 4th, 2017

Tags:,
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *